Adeus aos amigos incertos

quarta-feira, fevereiro 05, 2014


Minha lua é em peixes e meu mundo é utópico.
Posso ser irrelevante ou indispensável,
e você pra mim também, meu bem.

Diante do comum eu me estresso,
do normal, não me interesso.
do tanto faz,
do banal,
do incerto.
Gosto do inverso,

do gosto do oposto.
Da atitude na alma e sorriso no rosto.


Gosto de gente sincera, 
gente que traz paz.
Satisfaço sempre a quem me satisfaz.

Essa gente é vazia,
cheios de falta de amor.

Gente carente, 
migalhando atenção. 
Gente que finge ser fria.
Gente cheia de ser vazia.

Essas pessoas desesperadas por atenção, 
na verdade, estão desesperadas por amor.
Vivem num palco,
onde tudo parece belo, irreal e sem dor.


Pobres criaturas, 
pobres conversas mudas.
Se escondem atrás da beleza,
se perdem e não se assumem. 
Boicotam a si mesmas.
Giram em círculos cada vez mais estreitos,
tentando se achar em algum lugar. Vazio também.
Mudam de hábitos,
mudam de amigos,
mudam de carro,
mudam de estilo.
Sem critério,
sem mistério
e sem verdade.

Se um dia eu mudei ou me perdi por tentar ser eu,
não foi por ninguém,
nem foi por você.
Não por moda ou tendência,
e sim, metamorfose da consciência.


Não é possível agradar a todos,
mas, quem gosta de verdade nunca vai embora.
Confie nisso,
pense nisso.
Não me julgue e eu também não vou.
Adeus aos amigos incertos.

M.L.V.

Você poderá gostar

0 comentários










Subscribe