Mar de Eu

quinta-feira, agosto 03, 2017


Estive aqui pensando,
nessas noites mal dormidas,
que a inspiração só me vinha em momentos conturbados.

É uma vontade de gritar e fazer explodir a alma.
É um enjoar de tudo.
E não se contentar com pouco.
E é até por isso que escrevo.

Pra desabafar de novo.

E eu juro que tento manter a calma. 
Mas não sou de ferro.
E, apesar de viver bem tranquila,
as vezes eu explodo.

Recolho meus cacos, enfim. Um por um.
Assim, bem quieta na minha,
discreta e sozinha.
Pelo menos, a maioria das vezes.

Pois em alguns momentos, no entanto,
já não me importa quem esteja em volta,
eu me desabo em pranto.
Em intensidade e desejos.

Sabe, as vezes eu tenho medo. 
Medo de me expor e de ser eu mesma.
Pois tanta intensidade, as vezes assusta.
Nadando num mar de pessoas rasas.
É meio difícil ser profunda.

Mas o superficial também me sufoca.
Me abafa e me deixa louca.
Não consigo fingir nada pra agradar ninguém.

Preciso de momentos de fogo,
de calmaria de água,
de vento no rosto e
por os pés na areia.

Preciso de pessoas, lugares e instantes.
Nada igual a nada parecido.
E não me venha com metades ou falta de assunto.

Me dê de você o seu melhor sorriso,
me mostre seu mundo.
Sua música favorita e um retrato mal tirado.
Prefiro te ver sorrindo do que te ver calado.

Prefiro ser eu, assim bem inteira
e se, por acaso você não souber lidar,
eu lamento, meu bem,
você não aprendeu a me navegar.
Então não tente ficar.
E não me faça de porto.

M.L.V.

Você poderá gostar

0 comentários










Subscribe